sexta-feira, 24 de julho de 2009

Álcool, Escotismo e Alienação de Direitos

Hoje fiquei sabendo que pelo menos um membro foi expulso do XXIV Mutirão Nacional Pioneiro, que está se realizando em Belo Horizonte, de 21 a 26 de julho. Isso me deixou assustado.

Entendam, não estou aqui para defender o consumo da droga. Ao contrário: por opção eu não bebo há mais de 2 anos.

Alegam todos que ao fazer inscrição na atividade, o participante concorda com as regras, e as regras dizem que é vetado o consumo de álcool. Mas vamos analisar isso.

Primeiro, temos que essa regra é IMPOSTA por um contrato de adesão. não há nenhum tipo de negociação. Isso porque se o paticipante não "clickar" em "aceito"no site ou não assinar que concorda, ele não poderá participar da atividade.

Segundo, é lícito no Brasil cidadãos com mais de 18 anos comprarem, portarem e consumirem álcool e cigarros (produtor fumerígeros em geral: cigarro, cigarrilhas, cachimbo, charuto ect). Essaatividade é composta por jovens e adultos acima de 18 anos, salvo raras excessões que possuem acima de 17 e meio, para os quais não se pode vender ou servir bebida alcoólica, nos moldes da lei. Isso significa que as normas impostas por um evento nacional da União dos Escoteiros do Brasil aliena o participante de um direito legal.

E aí eu me pergunto: quem a UEB pensa que é para fazer isso? Para alienar qualquer pessoa de qualquer direito legal que ela possua? Que instituição é essa que diz que pretende formar cidadãos, mas se esforça em alienar os direitos dos mesmos.

Se a UEB como instituição é contrária ao consumo do álcool, ela tem todo o direito, para não dizer o dever, de dar o exemplo e encampar uma grande campanha nacional pela mudança da legislação, tornando assim o consumo de álcool proibido em todo o território nacional. Mas não cabe à UEB alienar o direito de cidadãos.

Uma instituição que se diz defensora da democracia não pode fazer isso. Digo mais: deveria fazer um pronunciamento público pedindo desculpas aos participantes expulsos por esse motivo e por qualque outro motivo da mesma natureza.

Mais uma vez: não bebo e não fumo. E acho que muito pior do que beber e fumar é agir de forma impositiva alienando o cidadão de seus direitos constituídos.
Postar um comentário