sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Funcionário público é vagabundo

A frase título deste post é tida como verdadeira por muitas pessoas no Brasil. Sabemos que, como em qualquer instituição, existem os preguiçosos e vagabundos e as pessoas que trabalham com afinco, e que isso é verdade, também, no funcionarismo público. Mas vejamos alguns fatos que, infelizmente, corroboram com essa ideia.

Que a Polícia Federal (PF) está em greve já foi divulgado por vários canais de notícias, tanto escrita quanto falada. Mas o que a PF decidiu fazer durante a greve? Uma coisinha chamada "Operação Padrão", que a Folha de São Paulo noticiou. Mas pensemos... o que é uma "Operação Padrão"?

"Operação Padrão" nada mais é que o padrão, ou seja, o que deve ser feito no cotidiano do trabalho, neste caso, da PF. Se você leu a reportagem do link acima, viu que a "Operação Padrão" incomodou muito as pessoas fiscalizadas. Mas o mais importante é que, se a "Operação Padrão" da PF faz isso, o que eles fazem durante a rotina de trabalho padrão que não gera isso? A única resposta lógica possível é: fazem menos que o padrão.

"Operação Padrão" é a prova definitiva que os órgãos públicos que a fazem na greve de fato fazem menos que o padrão em seu cotidiano, e que nós pagamos para receber um serviço abaixo do padrão.

Para piorar a situação, a justiça proibiu, como noticiado pela Folha de São Paulo, que a PF fizesse a "Operação Padrão". em outras palavras, a justiça brasileira que proibiu que os funcionários públicos da PF cumprissem com sua função BÁSICA, nos moldes básicos do próprio trabalho.

Sobre o ocorrido, tenho duas perguntas:
1) Como mudar a ideia geral da população sobre o funcionarismo público se o é na greve que vemos os funcionários que pagamos com impostos realmente trabalharem?
2) Por que categorias que fazem "Operação Padrão" na greve não são sumariamente demitidas com justa causa por demonstrarem que em seu cotidiano fazem abaixo do padrão?

A justiça não devia proibir a "Operação Padrão", mas obrigá-la, sob multa mais pesada ainda que a da proibição, caso não fosse cumprida. "Operação Padrão" é obrigação cotidiana do funcionarismo público e direito dos cidadãos.